quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Medicina ortomolecular – método pobre

A chamada medicina ortomolecular tem como objetivo primordial “restabelecer o equilíbrio químico do organismo”. Esse acerto (orto = certo) das moléculas é buscado por meio de vitaminas, minerais e/ou aminoácidos. A ideia é buscar o “reequilíbrio bioquímico” e combater os radicais livres. Com relação à adoção ou não desse tipo de medicina, devemos considerar vários aspectos:

1. Certamente existe verdade no fato de que a diminuição ou falta de certos minerais ou vitaminas pode produzir desequilíbrios no corpo, sintomas e até doença.

2. O problema da restituição é que nas análises (exames) feitos somente se analisam os elementos mais conhecidos. Sabe-se hoje que ao dar/suplementar minerais isolados, estes afetam o equilíbrio de outros minerais e podem até produzir efeitos contrários aos esperados.

3. Um dos principais perigos consiste, portanto, no fato de que realmente não sabemos como o organismo responderá à administração de doses altas de substâncias isoladas.

4. Outro problema da medicina ortomolecular é – e digo isso por experiência de meu irmão – que esse tipo de terapia se presta muito bem a fraudes nas análises (exames) e, portanto, à desnecessária administração de substâncias.

5. Usualmente o tratamento é caro (negócio).

6. Se bem que não seja considerada uma “medicina mística”, não é de bom juízo médico querer “curar” sintomas ou doenças somente com a administração de substâncias isoladas. Sabemos muito bem que a saúde depende de muitos fatores físicos (estilo de vida) e mentais.

7. Num raciocínio semelhante se apoia a rejeição da aromaterapia por parte da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Aromaterapia não é mística, mas não é medicina de bom juízo para melhorar a saúde. Ellen G. White recomenda: (a) buscar e corrigir os erros no estilo de vida, e (b) continuar num estilo de vida correto. Todos os fatores do programa NEWSTART [os oito remédios naturais defendidos por este blog] são importantes. Poderíamos, portanto, dizer que a medicina ortomolecular (e a aromaterapia) são métodos pobres, indignos de uma boa prática médica.

No final das contas, o método de cura divino está estabelecido nos livros de saúde publicados pela Sra. White. Se seguirmos essas recomendações, teremos boa saúde.
A Clínica Adventista Vida Natural, em São Roque, tem feito um bom trabalho para tratamentos de doenças relacionadas ao estilo de vida, e está à disposição para ajudar.
Contato: www.vidanatural.org.br

(Dr. Luiz Fernando Sella, formado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 2006, participou como médico visitante da Escola de Medicina da Universidade de Miami, em 2006 e 2007. Atuou no Programa de Saúde da Família, em Santa Catarina, com enfoque em medicina preventiva e estilo de vida. Atualmente, é médico da Clínica Adventista Vida Natural, em Ibiúna, SP)

Um comentário:

  1. Verdade, o que foi dito nesse artigo. Contudo, considerando que a maior parte da população, hoje, vive carência severa de diversos nutrientes (em especial vitaminas e minerais), e excesso de outros (carboidratos e lipídios), e que a produção de radicais livres ultrapassa em muito a de antioxidantes, o uso de suplementos de qualidade é um "risco" que compensa, se feito de forma responsável. Há inúmeros casos de pessoas que, em poucas semanas usando suplementos de qualidade, reverteram casos sérios de doenças, algumas consideradas irreversíveis pela medicina conservadora. Sugiro leitura do livro "O que seu médico não sabe sobre medicina nutricional pode estar matando você", do Dr. Ray Strand, médico cristão que passou anos combatendo uso de suplementos, até que descobriu que era vítima do controle sobre o conhecimento médico, exercido pela indústria farmacêutica. Quanto às menções feitas à sra. White, seria ele referência nessa área? Estranho isso, Elen White foi uma mulher comum, sujeita a erros como qualquer ser humano... Deve ter acertado numas coisas, e errado em outras - é preciso ter cuidado...

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails