terça-feira, 21 de junho de 2011

A ciência adverte: fumar maconha emburrece

Um recente estudo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) acaba de ratificar o que já havia sido objeto de pesquisa em outros países: o hábito de fumar maconha frequentemente, mesmo que em pouca quantidade, pode danificar seriamente a área do cérebro responsável pela memória. Por sua vez, [...] a chamada “corrente progressista” - são cerca de 190 milhões de usuários no mundo segundo a ONU - que luta pela legalização do cultivo, venda e consumo da maconha, acaba de sofrer um duro golpe. Nos EUA, a Califórnia, primeiro estado a oficializar o uso medicinal da cannabis em 1996, rejeitou, em referendo popular, tal proposta. Mesmo para uso medicinal o uso da maconha foi ainda rejeitado, pela corrente de conservadores, nos estados de Oregon e Dakota do Sul. Medida de bom senso contra uma droga, com seu componente psicoativo (tetrahidrocannabinol - THC), cada vez mais potente hoje - vide a maconha hidropônica - que nada tem de tão recreativo assim.

Uma opinião, das mais importantes, já citada inclusive em artigo do jornalista Jorge Antônio Barros de O Globo, que coloca em xeque o pressuposto de que a maconha é uma droga inofensiva, parte da diretora do Instituto Nacional sobre Abuso de Drogas (EUA), a mexicana Nora Volkow, ao afirmar: “Há quem veja a maconha como uma droga inofensiva. Trata-se de um erro. Comprovadamente, a maconha tem efeitos bastante danosos. Ela pode bloquear receptores neurais muito importantes. Estudos feitos em animais mostraram que, expostos ao componente ativo (THC) há interferências sob controle do apetite, memória e humor. Isso causa desde aumento da ansiedade, até a perda de memória e depressão. [...]

A professora de psiquiatria Maria Teresa Costa de Aquino, da FCM/UERJ, diretora do Nepad (Núcleo em Atenção ao Uso Indevido de Drogas), no Rio, afirma que a maconha pode causar síndrome amotivacional, um estado letárgico de falta de motivação para o trabalho, estudo, atividades físicas e outras tarefas do dia a dia. “A maconha de que falamos hoje não é a mesma de 20 ou 30 anos atrás.A percentagem de substância alucinógena é bem maior”, diz a estudiosa.

Outros estudiosos afirmam que a maconha, em uso contínuo, pode levar os dependentes a um estado agressivo exacerbado e dar causa a episódios psicóticos. [...]

Chega agora a notícia de que o uso prolongado do álcool - droga lícita - causa talvez mais danos do que o crack e a heroína. [...] Já nos bastam os males causados em todo mundo pelo alcoolismo e o tabagismo. Drogas não agregam valores sociais positivos. Há outros prazeres para os jovens, na vida, sem que necessitem da busca (falsa) do “mundo colorido” através de estados alterados de consciência. O bom senso determina a proteção de nossas futuras gerações no posicionamento contrário à descriminalização de drogas. Aos pais e responsáveis fica o alerta de que, neste caso, o preço da felicidade é a eterna vigilância de seu filhos. A maconha é uma perigosa porta aberta para o caminho da destruição.

(Milton Corrêa da Costa, O Globo)

Nota: A despeito de todos esses males, o STF aprovou que se façam manifestações (marchas) de apoio ao uso da maconha. O estilo de vida desregrado (chamado por alguns de “liberdade”) e o estilo de vida homossexual, assim como o consumo de drogas (“lícitas” ou não) também são comprovadamente prejudiciais à saúde, no entanto, cedendo a prossões, os governantes e magistrados têm dado apoio a manifestações que enaltecem essas coisas. Mundo difícil o nosso...[DB]

7 comentários:

  1. Conversa fiada que nos leva a outras conversas fiadas. "A maconha prejudica e o álcool e o cigarro também, por isso não podemos descriminalizar mais uma droga que prejudica o ser humano!"

    POVO é tão difícil entender que o problema não está em ser prejudicial ou não, mas sim que INDEPENDENTE disso o consumo em países como o nosso só aumenta a cada dia?

    Precisamos é de pesquisas que contribuam para a conscientização de que o problema do consumo de maconha, álcool, cigarro, crack, cocaína está gerando prejuízos gigantescos, principalmente para os jovens, pelo modo como esse consumo é combatido. Ou seja, o moleque precisa entender anteriormente a relação de causa/efeito do consumo por sua escolha e não que gritem no ouvido dele todo dia que droga 'A' causa isso no seu organismo e droga 'B' causa aquilo.

    Educação, o problema é educação.

    E sinceramente Débora Borges sua NOTA está totalmente preconceituosa, discriminatória, excludente, limitada e muito difícil de não ser compreendida como puritanismo desregrado. Uma vida homossexual é prejudicial a saúde? Foi Deus que lhe disse isso santíssima? Você também é contra um artigo de nossa infeliz Constituição que diz que somos LIVRES para escolhermos nossa opção sexual? Ou simplesmente você é uma daquelas que ama publicar matérias que valorizam e ratificam os "valores morais tradicionais"? Desculpa a rigidez de certos termos, mas diante de tamanha intolerância é impossível não ser, no mínimo, provocador!


    P.S. Não me interessa esse comentário ser publicado ou não, mas se não o for só demonstra sua INCAPACIDADE de PENSAR!

    ResponderExcluir
  2. Oba! Mais uma bala no meu cartucho argumentativo contra esses maconheros safados do governo e da falsa esquerda! >: D

    ResponderExcluir
  3. Rivaldo acho que sua arma linguística andava bem enferrujada e é daquelas bem vagabunda e sem referencia já que aceita qualquer tipo de munição! E ainda vale notar que está, em parte, mirada pro lado errado: usuários.

    ResponderExcluir
  4. Não se pode comparar álcool e cigarro com drogas ilícitas pois estas além de idiotizantes causam a morte de milhares de brasileiros por seus usuários. Igualar essas drogas e desonesto.

    Quanto ao STF para começo de converça ele não tem autoridade para legistar somente para julgar. Além de legistar contra a maioria esmagadora da população brasileira sobre o casamento gay cagou na Constituição Federal de 1988, liberou apologia às drogas, crime pegante a legislação vigente e protegeu um criminoso terrorista (o tal do Batistti).

    Esses juízes iníquos eram para ser expulsos do STF por impeachment, mas o governo e a mídia os protege e elogia por seus crimes.
    Segue abaixo dois link um sobre a questão das drogas e outro sobre o ódio que a mídia tem contra os verdadeiros cristãos (evangélicos ou católicos), que não apoiam esse governo iníquo que quer destruir a civilização como a conhecemos.

    http://cavaleiroconde.blogspot.com/2011/06/o-supremo-tribunal-de-excecao-petista.html
    http://juliosevero.blogspot.com/2011/06/marcha-para-jesus-atrai-5-milhoes-de.html

    ResponderExcluir
  5. No final, meus amigos, todo o Pecado vai para o mesmo saco... E não adianta fugir.

    ResponderExcluir
  6. "Acho graça que isso sempre foi assim": defesa da civilização como a conhecemos. Entretanto, a meu ver nossa civilização está demasiada fragmentada. Defendemos a manutenção da ditadura da televisão, do racismo e intolerância religiosa, da ignorância, da despolitização, do descaso, da desorganização comunitária, do proibicionismo caduco, do abismo estre as classes?

    Lembremos que a nossa Constituição é apenas uma lei de papel em construção e por isso EXIGE reformulações ao longo do tempo. Concordo que o STF não pode LEGISLAR, mas tem a obrigação de contribuir no combate aos danos sociais. E permitir que uma parcela de indivíduos, mesmo que pequena, exponha argumentos sobre um problema crônico de nossa sociedade é uma bela contribuição!

    A nível de nota o STF não liberou apologia às drogas. Já faz muito tempo que o Brasil não tem controle sobre apologia às drogas. É só olhar com atenção os comerciais sobre cerveja, as mulheres bonitas, os "artistas" brasileiros, a ideologia de manutenção de certos padrões de privilégio. O STF finalmente permitiu foi que se discuta abertamente sobre maconha e a legalização.

    ResponderExcluir
  7. que merda de texto e esse ?!
    vocês acham normal o álcool e o tabaco sendo consumido por nossas gerações,que terão no futuro danos irreversivel no celebro,pois e isso que o álcool trás.Já a maconha após alguns dias sem o consumo o celebro volta ao normal,desaparecendo todos os danos.
    obs:não adianta tampar o sol com a penera ,fazer as pessoas engolir essas mentiras.
    não podemos tratar um usuario de maconha como um criminoso.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails